logo gsc

Blog Caetano

Mudar de emprego: 10 sinais que indicam que o deve fazer

Mudar de emprego poderá ser uma das decisões mais difíceis da sua vida, mas quando já não sente realização profissional com aquilo que faz às vezes é a melhor escolha. Quando sentir que “já não dá mais”, o melhor mesmo é refletir sobre os prós e os contras e então, tomar uma decisão. Neste artigo poderá encontrar 10 sinais de que está na hora de mudar de emprego ou mesmo de carreira. Afinal, não tem de fazer o mesmo toda a vida!

Estará na hora de mudar de emprego? Estes sinais podem indicar que sim.

1. Cansaço e falta de energia.

Ainda nem começou o dia de trabalho e já se sente sem energia? Quando o cansaço é geral e em várias atividades poderá ter de procurar ajuda médica. Se só acontece com tudo o que se relaciona com a sua atividade laboral, poderá ser um sinal de que algo não está bem, tente perceber se é apenas uma fase menos boa e de maior volume de trabalho, ou se a falta de energia é recorrente porque já não se sente com motivação a fazer o que faz.

2. “Se não fosse pelo dinheiro, já tinha ido embora”.

Se lhe ocorre este pensamento é porque, na verdade, provavelmente não gosta do que faz. Lembre-se que, por vezes, o dinheiro não é tudo e que a sua felicidade não deve ser hipotecada. Invista, por exemplo, numa formação numa área distinta e procure uma nova oportunidade profissional.

3. Stress constante.

Estar permanentemente em situações que lhe causam pressão e stress não é saudável. A sua performance vai começar a cair, a sua saúde irá ressentir-se e a sua paciência vai entrar na “red line” a todo o momento. Se o seu trabalho só lhe causa stress e irritações, não estará na altura de dar um passo em frente?

4. “É só trabalho”.

Passamos a maior parte das nossas vidas a trabalhar, logo, devemos procurar fazer algo que nos motive, que nos faça sentir úteis e sobretudo que nos traga alguma felicidade. Quando já só faz o que faz “por fazer” é porque não sente realização nisso. Como dizia Confúcio: “Escolha um trabalho que goste e nunca mais terá de trabalhar na vida”.

5. Não se sente valorizado.

Ninguém lhe dá ouvidos nem feedback acerca do seu desempenho, mesmo quando está altamente comprometido com as suas funções e desenvolve o seu trabalho com empenho e dedicação? Tente falar primeiro com a sua chefia e partilhe o seu ponto de vista. Cair na rotina pode limitar as suas capacidades de progressão.

6. Parece que o tempo não passa.

Está sempre a olhar para o relógio? Antes acordava motivado para começar o seu dia de trabalho e até ficava mais um pouco por iniciativa própria? Agora, se ainda só são 9h da manhã e já queria que fossem 18h é motivo para começar a pensar em algo que traga de volta a motivação e o gosto pela sua profissão.

7. Não evoluiu.

O tempo vai passando e tem a sensação de que não tem aprendido muito e tampouco tem perspetivas de evolução na carreira? Avalie se é assim que quer continuar. Antes de tomar medidas, fale com a sua chefia e indique que necessita de novos desafios, formação ou um plano de carreira que o mantenha motivado. Às vezes uma pequena conversa poderá revelar-se um ponto de viragem.

8. Não consegue conciliar a vida pessoal e profissional.

Passa o tempo todo a pensar no que tem para fazer no trabalho? Já não tem tempo para a sua família, amigos ou para fazer aquilo que gosta? É certo que nalguns casos pode não ser fácil conciliar os dois mundos. Mas se já não consegue, de todo, “desligar-se” da vida profissional, mais tarde ou mais cedo isso terá repercussões negativas na sua vida pessoal.

9. Os domingos à noite são horríveis.

É assolado por um sentimento quase depressivo e de nervosismo no final dos domingos ao pensar que o dia seguinte é dia de trabalho? Poderá ser altura de pensar em mudar. No entanto, identifique primeiro se é apenas porque sabe que poderá ter um dia difícil.

10. Já não se identifica com a empresa, colegas, projetos, etc..

Nem tudo tem de ser para a vida. Se o que outrora gostava de fazer, já não o motiva mais, se já não se sente realizado com os projetos que tem em mãos ou se já não se identifica com os seus colegas e/ou com a cultura da empresa, talvez seja o momento de abandonar o barco. Todos podemos mudar de ideias e interesses a qualquer momento.

Não se culpe por querer mudar, todos têm o direito de fazer aquilo que gostam. Os fatores podem ser vários: cultura de empresa, chefia, projetos, tarefas ou simplesmente vontade de mudar, querer fazer algo diferente ou conhecer novas realidades.

Não se acomode e não deixe que os sinais de que está na hora de mudar de emprego se agravem. Às vezes basta simplesmente mudar de equipa ou departamento, por isso mantenha uma boa comunicação no local onde trabalha e exponha as suas preocupações, antes de tomar uma posição de rotura total. As organizações têm o dever de criar condições para que se sinta bem com o que faz.

A decisão de mudar de emprego pode ser muito dura, mas não tomá-la poderá significar deixar para trás o seu bem-estar e felicidade. Analise os riscos e consequências dessa decisão, mas acima de tudo, se mudar é o seu desejo, não desista!

Se já tomou a decisão, podemos ajudar a encontrar um novo desafio profissional! Consulte as nossas ofertas de emprego.